HOME

TREINO

LINKS

BIKE

EQUIPE

 

Dicas para sua Bike

Faça você mesmo a manutenção de sua bike, desde que você possua ferramentas adequadas, ou confie ela a uma bike shop especializada ou a seu mecânico de confiança. Sempre desconfie de barulhos anormais na sua bike, segurança sempre em primeiro.

Bike Fit

Você provavelmente já fez ou pensou em fazer um bike fit, quando comprou uma bike nova ou quando resolveu treinar sério, que nada mais é do que 'encaixar' a bicicleta ao ciclista. O que pouca gente se preocupa ao fazer o bike fit é com o verdadeiro objetivo deste. Procura-se conseguir o maior conforto possível na bike, porém esquece-se que o ato de andar de bicicleta já é uma ação não natural ao nosso corpo, ou seja, fomos feitos para caminhar, correr, e não para ficar sentado em um selim, gerar torque em uma pedivela e fazer girar as rodas. Portanto qualquer pessoa que não tenha o hábito de pedalar vai sentir dores e desconfortos após uma pedalada, por menor que seja. Neste caso não adianta somente procurar conforto ao realizar o bike fit, pois isso comprometerá o rendimento da pedalada, tornando-a mais cansativa. Um bom exemplo de erro frequente de bike fit é quando a orientação é de substituir a mesa(avanço) por uma muito menor do que a original. Uma mesa menor vai recuar o guidão, deslocando para trás o centro de gravidade do ciclista, aliviando a carga sobre os braços e sobrecarregando a coluna sobre o selim, pois esta adquire posição mais ereta, lembrando que estando o ciclista sentado a sua coluna não contará com o auxílio dos membros inferiores na distribuição de carga. Portanto não adianta trocar componentes se o quadro da bicicleta não for do tamanho ideal. Outro ponto importante é quando busca-se melhorar o desempenho na bike. Neste caso é preciso avaliar os pontos fracos da pedalada do atleta e verificar se algum ajuste incorreto na bike está causando estas limitações.

Quando for fazer um bike fit, procure um profissional especializado, pois as vezes você só vai gastar com mais peças e ainda vai piorar sua posição na bike.

Evite quebrar seu câmbio/gancheira

Quando você for encarar aquela descida esburacada, que geralmente vem depois de uma subida forte, troque pelo menos 3 catracas caso a corrente esteja na catraca maior e passe para a coroa grande, como na foto ao lado. Isso evita que o câmbio traseiro, estando na catraca maior, acabe enroscando nos raios da roda traseira por conta dos solavancos causados pelos buracos na pista, e a corrente na coroa grande fica mais esticada evitando o contato da mesma com os raios da roda. Desse jeito você preserva o aro, os raios, a gancheira e principalmente o câmbio traseiro da bike. Com o tempo essa manobra fica automática e sua pedalada não vai ser perdida.

 
Relação sempre em dia

4.jpg (128992 bytes)Você pode andar com a bike toda marrom de barro, mas deve sempre fazer a limpeza da relação de transmissão. São os componentes móveis que ficam mais expostos e suscetíveis a um maior desgaste por conta da sujeira. Primeiro utilize uma escova de dentes usada (ou uma especial para este fim) para retirar a sujeira mais grossa da corrente e coroas, utilize um raio (de roda mesmo) para retirar a sujeira entre as engrenagens do pinhão ou catraca e também nas roldanas do câmbio traseiro. Essa sujeira grossa absorverá o óleo que você aplicar na corrente se a relação estiver suja, e a lubrificação não fará efeito por muito tempo. Girando o pedivela para trás, limpe a corrente com um pano seco na parte inferior, apertando bem os dedos, primeiro as partes internas na corrente e depois as laterais, se houver muita sujeira na corrente limpe também entre os elos com um pano e um raio. Limpe também com um pano seco entre as coroas do pinhão e do pedivela para livrar completamente da sujeira. Limpe também as roldanas do câmbio. Com a relação completamente limpa e seca engate a marcha mais pesada e *aplique o óleo na parte inferior da corrente encostando o bico do aplicador na parte interna da corrente e girando o pedivela para trás em velocidade moderada para não aplicar óleo em excesso. Certifique-se de que toda a corrente esteja lubrificada. Apóie a bike em um suporte e passe todas as marchas para deixar uma camada protetora de óleo em todas as coroas. Nunca aplique óleo em cima da catraca ou pinhão nem na parte externa da corrente, pois acumulará muita sujeira. Este procedimento de limpeza e lubrificação deve ser feito sempre que possível pois os componentes da relação são a alma da bike, e custam muito caro também. Troque sua corrente sempre que necessário por uma nova quando a quilometragem atingir entre 1.000km e 2.000km, assim as coroas e o pinhão podem durar quase 10.000km com o uso de três ou quatro correntes novas, que ainda podem ser revezadas quando a relação já estiver um pouco gasta e não aceitar mais correntes novas. Você pode utilizar uma só corrente até acabar com toda a relação, porém o desempenho do sistema será comprometido, exigindo maior esforço na pedalada e causando imprecisão nas trocas de marcha. Uma corrente muito gasta também fica mais propensa a quebrar e estragar sua pedalada.

*Esta maneira de lubrificar a corrente pode ser utilizada em uma corrida, não gastando mais do que alguns segundos. Leve sempre óleo com você em um pequeno frasco.

Freios macios

Se os freios (no caso de freios v-brake, cantilever ou disco a cabo) de sua bike estiverem com o acionamento duro e o cabo parecer estar travando é hora de providenciar uma manutenção. Certifique-se de que os cabos de aço e conduítes estão em bom estado, sem dobras ou desfiando. Sem desmontar os cabos, retire os conduítes dos encaixes para expor as partes internas dos cabos de aço, limpe com um pano seco apertando-o para livrar completamente da sujeira, se estiver um pouco oxidado utilize uma palha de aço. Aplique uma camada de graxa branca no cabo e deslize o conduíte para espalhar a graxa por dentro. Recoloque os conduítes nos encaixes e acione os freios várias vezes para certificar-se que tudo está no lugar. Se os v-brakes se movem com dificuldade aplique um pouco de lubrificante líquido nos pivôs do quadro e garfo. Feito isso, se ainda for preciso uma certa força pra acioná-los, pode haver excesso de tensão das molas do v-brake ou cantilever, solte um pouco os parafusos reguladores da tensão das molas nas laterais dos freios e vá testando até o acionamento ficar suave mas sem comprometer o retorno do cabo totalmente, o que causaria uma folga nos manetes. Sempre verifique o desgaste das sapatas ou pastilhas de freio.

Cabos de câmbio

Para os cabos de câmbio o procedimento de limpeza é o mesmo dos freios e a lubrificação no caso do câmbio dianteiro pode ser feita também com graxa branca, mas no caso do câmbio traseiro é recomendado utilizar um lubrificante para condições extremas do tipo Finish Line (Cross Country - verde) para obter-se mais precisão e rapidez nas trocas de marcha. Troque regularmente os cabos e conduítes, de freio e câmbio.

 

Voltar

© Copyright André Melo Assessoria Esportiva - 2008 - 2013 - I.E. 1024x768

Designed By André Flávio